Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Digo eu

Digo eu

Provocação

Shouting.jpg

 

 

 

 

 

Quando deres por ti em estado de choque, vais ficar sem palavras. Literalmente mudo. Consequentemente fazes-te de surdo ou de parvo, tentando desviar os assuntos que mais te incomodam. Isso não significa que te esqueces do que ouviste ou presenciaste, muito menos do que sentiste na pele e no coração. Quase que te dá um ataque... Aliás, sentes-te a sufocar com tudo entalado na garganta, e mais tarde, talvez uses esse pretexto para te vingares (se bem que ainda nem pensaste como). 

Ao contrário, podes aproveitar o choque para partir para uma guerra aberta, impondo o teu ponto de vista, botando fogo nas palavras (partindo do princípio que as tuas razões são mais válidas). 

 A educação e consequentemente a linguagem são os veículos principais do primeiro embate. Pensa bem. 

Atrás disso vem uma enorme listagem, onde se incluem os conflitos psicológicos, a postura e o ego. As cenas tornam-se intoleráveis à medida que se repetem, provocando a morte lenta aos que se arrastam, fartos de representar o mesmo papel, fartos da mesma história já sem graça. 

As relações são complicadas. Extremamente complicadas. 

Não sei se sabes, mas é mesmo preciso sair da redoma, fazer cedências e aprender a lidar com feitios que se revelam tal como são, à medida que o tempo passa. 

Das duas uma: Ou aceitas o que te vai acontecendo e vives na boa sem te chateares, ou não aceitas. 

No caso de não aceitares, podes entrar em guerra, quer tenhas o dom da palavra, quer te cales. Se fores daqueles que desabafa a gritar e que vai atirando com as portas (fazendo estremecer as janelas e todos à tua volta)... a raiva até que passa. O pior é para quem te ouve, já pensaste?

Se, ao contrário, engolires em seco e não disseres nada, forma-se-te uma úlcera no estômago, o cabelo fica ralo e a pele numa lástima, como na puberdade. 

Perguntas-me então qual será a solução em qualquer destes casos, ao que te respondo como sempre, que é preciso aprender a conversar. Argumenta e deixa os outros argumentar. Dá um tempo, dá um espaço. Respira fundo e deixa que os outros também o façam.  

Não te queiras impor nem te rebaixes.  Como já deves ter percebido, relacionar-se não é fácil.